Exercícios previnem reumatismo para mulheres | Academia Academia - Academia Musculação - Academia Jiu Jitsu - Academia Jiu Jitsu Submission - Academia Boxe - Academia MMA - Academia Muay Thai - Academia Tecido Acrobático - Academia CrossFit - Academia Vale Tudo - Jiu Jitsu - Jiu Jitsu Submission - Jiu Jitsu Faixas - Jiu Jitsu Graduação - Jiu Jitsu Golpes - Jiu Jitsu Competição - Jiu Jitsu Frases - Jiu Jitsu Luta - Jiu Jitsu treinos

Exercícios previnem reumatismo para mulheres.O estudo revelou ainda que um IMC alto é fator de risco forte para o desenvolvimento futuro da doença.De acordo com o último Censo, o Brasil, seguido de outros países emergentes, vem liderando o ritmo de crescimento dos índices de sobrepeso e obesidade em todo o mundo. Por aqui, cerca de 50% dos adultos e 30% das crianças e adolescentes encontram-se acima do peso normal.

Nos Estados Unidos, as estatísticas apontam que o número de obesos tende a dobrar nos próximos 25 anos. A obesidade também assombra a Europa. De acordo com o estudo Health at a Glance – Europe2010, 50% dos adultos e uma em cada sete crianças na Europa são obesas ou têm excesso de peso.

Obesidade, doença reumática e a prática de exercícios

A fibromialgia é uma dos mais de 100 tipos de doenças reumáticas existentes. É uma síndrome dolorosa crônica, caracterizada por dor generalizada, com duração superior a três meses, em pontos definidos, tais como pescoço, ombros, costas, quadris, braços e pernas. “Os sintomas geralmente associados à doença incluem também fadiga inexplicável, distúrbios do sono, cefaléia, dificuldade cognitiva, distúrbios de humor. A prevalência da fibromialgia aumenta com a idade e é consideravelmente mais elevada entre as mulheres”, explica o reumatologista, Carmo de Freitas, membro titular da Sociedade Brasileira de Reumatologia.

Recentemente, pesquisadores da Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia concluíram um trabalho, estabelecendo uma relação entre a prática de exercício físico e o risco futuro de desenvolver a fibromialgia. Durante 11 anos, tempo de duração da pesquisa, 15.990 mulheres foram acompanhadas pelos pesquisadores. As que relataram se exercitar quatro vezes por semana apresentaram um risco 29% menor de desenvolver fibromialgia em comparação com as mulheres inativas.

Resultados semelhantes foram encontrados na análise da combinação de informações sobre a frequência, a duração e a intensidade dos exercícios. As mulheres que praticavam mais exercícios apresentaram um risco menor de desenvolver a doença em relação às inativas. O estudo revelou ainda que um IMC alto é um fator de risco forte para o desenvolvimento futuro da doença.

[Fonte:Corposaun]

Poderá também gostar de: